Andamento das Negociações da Pauta 2015

Diretoria do Sindicâmara comparece ao Conselho de Representantes de Classes para falar sobre o andamento das negociações da Pauta 2015

Na tarde da última terça-feira, dia 26/05, a diretoria do Sindicâmara apresentou aos representantes de classes um resumo da primeira rodada de negociação da Pauta 2015, com a leitura do documento (leia aqui) apresentado pelo núcleo administrativo central da Casa (Presidência e Direção-Geral) na reunião ocorrida no final da manhã de segunda-feira passada, dia 25/05, entre os dirigentes do Sindicâmara e a Administração da Casa, com os itens da Pauta 2015 que, num primeiro momento, a Administração se dispõe a atender, ficando ainda em aberto itens de extrema importância para a categoria, como o reajuste do auxílio-alimentação, auxílio-transporte em pecúnia, etc.

Também foi exposto ao Conselho de Representantes o posicionamento da Administração da Casa em relação ao ponto eletrônico, que foi o tema principal da reunião ocorrida na manhã de segunda-feira citada anteriormente. Surpreendentemente, o documento que traçava as diretrizes básicas da normatização do ponto e que acabou ‘vazando’ na semana passada (sobre o qual o Presidente da Câmara havia afirmado tratar-se de documento não reconhecido por ele) era, de fato, o primeiro esboço da Administração da Casa sobre o ponto eletrônico. O que nos foi exposto nessa reunião de segunda-feira, foi uma reiteração de boa parte do referido documento.

O Sindicâmara informou aos representantes de classes que a Administração da Casa se mostrou bastante inflexível sobre o ponto eletrônico, tendo ‘fincado o pé’ nas 36 horas semanais e deixando claro ao Sindicato que não existe a menor possibilidade de estabelecer-se uma carga horária semanal de 35 horas. Além disso, a forma de implantação do ponto tende a seguir uma linha empírica, de tentativa e erro, ao invés de ser feita de forma metódica e organizada, construída em conjunto com os servidores, como foi solicitada pelo Sindicato. Foi feita aos representantes de classes uma explanação de uma minuta de Resolução de Mesa e Lideranças, elaborada pelo Sindicâmara, que regulamentaria os horários da Casa e o ponto eletrônico, com a criação de um banco de horas devidamente normatizado. Essa minuta foi elaborada tendo por base os resultados do Grupo de Trabalho do ano passado que foi constituído para regulamentar o ponto e que acabou não concluindo por completo o seu trabalho por decisão do então Diretor-Geral, Albano Assis. A minuta apresentada foi encaminhada a Presidente do Conselho, Tatiana Caroline Manica Shapke, que solicitou cópia da mesma para enviar a todos os representantes de classes.

Por fim, o  Sindicâmara alerta a categoria de que o caminho que a Administração da Casa está seguindo para a implantação do ponto eletrônico, sem a devida regulamentação prévia, é temerário aos servidores e a própria Câmara, que mesmo funcionando no ‘caos’ que a atual Administração acredita, é referência para os demais legislativos municipais do Estado e do País. A desconsideração de questões técnicas que permitam, ao mesmo tempo, a realização da jornada de trabalho e seu respectivo controle, de forma flexível, priorizando a qualificação dos serviços, coloca os servidores desta Casa em uma posição desconfortável, onde a desconfiança parece ser a palavra de ordem para tratar do assunto.

Sindicâmara – Diretoria